Aelita Lear
Aelita Lear

Livros publicados


Sobre a autora

Aelita Lear vive em um universo paralelo repleto de livros, animais de pelúcia e oito gatos guerreiros muito fofinhos. Começou a escrever em meados de 2010, por meio de Fanfics, no site Nyah!, e sua história mais famosa, O Humano (baseado na obra A Hospedeira, de Stephenie Meyer), ainda é a mais recomendada e lida na categoria, mesmo após tantos anos.

Série Cativos

Em 2017, logo após a conclusão do curso de Direito, começou a rascunhar o livro Pangea, seu primeiro romance original, lançado em 2019 de forma independente. Fascinada pela Edição, começou a cursar Editoração em 2020, e neste meio de tempo lançou Nibiru, continuação do primeiro livro e fechamento da Série Cativos.

Contos do Fio Vermelho - Akai Ito

Em 2021, lançou os contos Tudo isso aqui... eu fiz para você, que faz parte da antologia Alternando entre mundos, e Quem eu escolhi... para ficar, que está na coletânea Três é demais. Ambos pertencem ao mesmo universo, Contos do Fio Vermelho - Akai Ito e podem ser encontrados numa versão estendida na Amazon. Em breve, livro físico e mais contos da série.

Par Alelos

O livro Par Alelos é sua obra mais recente, marca uma mudança na escrita da autora, embora não deixe de usar a boa e velha ficção científica como pano de fundo de um livro cheio de questionamentos.

Contos

Você ainda pode se aventurar pelo conto de Natal 137, que pertence à Antologia Até que a última luz se apague, também com uma versão na Amazon; e outros contos esparsos Como todos estão... conectados, do mesmo universo do Fio Vermelho e pertencente à Coletânea Divirta-se; Eu sou a rainha de Marte... mas você é do meu coração, com o mesmo ambiente do Akai Ito e pertencente à Antologia Sonhos Translúcidos.

Aelita não para por aí...

São muitas ideias presas em sua mente e há projetos em desenvolvimento como E se eu voltar para você? e o Resgate de Lolita. Quem sabe mais quantas ideias doidas sairão de sua mente?

Um orgulho chamado Saifers

Atualmente, Aelita Lear faz parte do selo editorial independente SAIFERS•BR, que reúne diversos autores excelentes e influentes da ficção científica brasileira. Conheça mais sobre este projeto e muitos outros nas suas redes sociais.

Depoimentos

"O enredo é tão rico e cheio de nuances que mal percebi quando cheguei ao final! Foi uma leitura gostosa que me fez sofrer com os personagens e ansiar pelo bem deles. (...) Eu estou realmente encantada! Escrever ficção científica não é algo fácil e há a preocupação de não se fazer mais do mesmo. Aelita (Gabriela) conseguiu essa proeza e conseguiu mais uma leitora apaixonada. Minhas expectativas para o segundo livro estão bem altas.”

Mariette Santana, sobre "Pangea"

“Nos últimos três dias tive o prazer de ler esse livro que foi um dos mais criativos e originais que já li. É fantástica a ideia da autora, ela desenvolve o enredo num tom enigmático e cheio de momentos surpreendentes e imprevisíveis. (...) Fico muito feliz de ter lido um livro a altura das grandes distopias, na minha opinião, muito melhor do que Admirável mundo novo e em pé de igualdade com 1984. Já estou animado para a continuação desta obra singular.”

Maikon Felipe, sobre "Pangea"

“Estou sem palavras para descrever o que senti lendo esse livro, quero poder contar e falar sobre ele para todos que conheço. Quero divulgar essa maravilha aos quatro ventos. O misto de sentimentos ao decorrer da leitura é indescritível, quando você acha que compreendeu tudo, a autora vai lá e ri na nossa cara e diz: "Que comecem os jogos". Só sei que a autora continuou com o seu excelente trabalho, sua escrita é muito boa e fácil de ler.”

Ana Eliza Sperata, sobre "Nibiru"

“Um livro cheio de surpresas e acontecimentos marcantes que te fazem sentir uma euforia absurda e mais vontade de ler a cada linha que passa. É impossível não se apaixonar pelos personagens e sentir ligação com suas emoções e pensamentos, pois eles são marcantes. Foi uma leitura muito leve e EXTREMAMENTE empolgante. Eu estou extasiada com o final e não vejo a hora de ler Nibiru.”

Ana Luiza Curaça, sobre "Pangea"